9.9.06

Mas porquê, senhores?



Ontem tive a sensação de estar a assistir novamente ao fenómeno Lamb.
Passo a explicar: os Lamb, banda que sempre ouvi em repeat,
deram tantos concertos em Portugal que, às tantas, já sabiam
o que os esperava.

Por causa de um anúncio televisivo, a música Gabriel passou na
rádio até à náusea e grande parte do público dos concertos (para além daquela imensa minoria que dava ouvidos à XFM), passou a ser a malta que só conhecia aquela música.

O concerto de ontem teve um início arrepiante e prometia ser muito bom. Ora eu, que já tinha 2 concertos dela no meu arquivo, fiquei embasbacada quando começaram a desfilar as músicas do projecto Tribalistas e comecei a perceber que, à minha volta, era isso que se esperava.
Sim, sim, shame on me, que fui comprar o bilhete em cima da hora
e que não li a crítica ao concerto do Porto (nestas coisas, gosto de saber muito pouco acerca de alinhamentos...).


Conclusão: Por muito boas que sejam a voz dela (ao vivo ainda é melhor) e as músicas dos dois últimos discos, aquele encher-de-
-chouriço-tomem-lá-vamos-fazer-render-o-peixe-com-o-que-eu-sei-
-que-funciona, a apelar à palma e ao telemóvel aceso (sim, porque o velho isqueiro já não serve), deixou-me perplexa e com pena. Pena de ter gasto 40 euros (os bilhetes estão exageradamente caros e eu não ganho para isto!) e de que ela não tenha seguido o caminho menos óbvio.

Acabar o concerto com um Já sei namorar em tom de Banda Eva ou Daniela Mercury, convenhamos, não deixa saudades.
Pelo menos a mim.


Ps.: ao menos se tivesse tocado
Gerânio...

2 comments:

iC said...

foi assim tão mau??? que pena...

ritazzz said...

Mau não se pode dizer que tenha sido... mas senti-me engrupida pela maneira como ela se rendeu ao facilitismo comercial de cantar hits, em vez de apostar na sobriedade das boas músicas que tem. Aquele não era o público dela, mas sim o público que a conhece dos Tribalistas.