23.11.06

Q.





Tenho uma grande facilidade em fixar datas. Todas as datas, as boas, as más, as assim-assim...

O que pode parecer uma coisa boa (porque dispenso agendas, pda's e afins), pode transformar-se rapidamente numa coisa triste.
Lembro-me de todas as datas dos meus mortos, de há quanto tempo desapareceram e de como continuam a fazer-me falta. Apesar de, com o passar dos anos, haver uma reconciliação com a ideia da perda, quando chega o dia sinto-me sempre triste e com saudades, muitas saudades.

Preencho o vazio com memórias límpidas e com a certeza de que a minha vida teria sido muito diferente se não tivessem passado por mim.

Ps.: Terias adorado conhecer a A., é parecida contigo e nasceu quase no dia dos teus anos.

1 comment:

joanamb said...

Nunca me lembro de datas, mas não é por isso que lembro menos os que já cá estiveram, vivem comigo, dão opiniões e até abraços, olham para a L. e reparam se lhe dou beijos suficientes ,estão muitas vezes por perto, será?