30.6.08

Long time, no post



• Contrariar a preguiça natural diariamente.
• Reabastecer generosamente as doses de paciência sempre que possível.
• Relativizar a importância de uma noite de sono.
• Aceitar que já não se tem tempo para tudo.
• Dar o devido desconto a quem não imagina o que é ter um filho e que acha que não tem tempo.
• Manter sempre os pés bem assentes no chão.

Apesar de toda a parte tão recompensadora, ser uma mãe disponível tem um lado muito difícil do qual ninguém fala. Existe um antes que nunca mais volta e, por muito que se pense que se está preparado, há sempre aquele nano-segundo em que se sente saudades de ter tempo.
Eu sinto, apesar de saber que nada faria sentido se não fosse assim.

4 comments:

Paulo Puga said...

conheço a sensação, relatada na terceira pessoa...

joanamb said...

nunca ninguém escreveu com tanta clareza o que sinto
um grande abraço minha amiga

Sofia said...

Pronto, vou deixar de me queixar da falta de tempo que sinto e a Joana também vai deixar de se queixar da minha falta de tempo, certo? :-)

girrrrl said...

todos os dias esgotada, mas todos os dias recompensada, não é? bjs