11.2.13

Novos começos

luz boa O novo ano teve um início duro.
Entrei nele a observar de fora a felicidade dos que me rodeavam, despreocupados e felizes, com todas as possibilidades em aberto que um novo começo promete para quem tem saúde, e para quem a maior preocupação do novo ano se prende com duodécimos ou a falta de poder de compra.
Comecei 2013 com as lágrimas a correr-me pela cara abaixo porque sabia que passados alguns dias iria passar por uma cirurgia difícil, que me apanhou na curva, saída do nada.
Por mais que estejamos acompanhados por quem gosta de nós (e eu estava e isso é muito bom, claro!), é uma solidão imensa. Na hora da verdade, estamos resignados e sozinhos, com os nossos medos e fragilidades físicas e emocionais.
Agora já está. Passaram 11 dias desde que tirei o bocado que (não) era preciso.
Mas falta o resto: o tempo, a incógnita que permanece, a espera.
Já aqui escrevi sobre a extraordinária dificuldade que tenho em esperar.
É uma característica de sempre, em mim, que tenho vindo a tentar domar, até porque a vida se encarregou de me mostrar há muito que tudo tem o seu tempo e que há coisas que não vale a pena apressar (ou adiar).
Não importa se espero por coisas boas ou más, mas a medida do tempo entre o não saber e o saber, tudo o que se passa nesse intervalo é, provavelmente, das coisas mais insuportáveis para mim.
Distraio-me como posso enquanto espero.
Neste caso específico, tudo está em aberto, e anseio pelo dia em que me vão dizer que posso parar de suster a respiração, posso voltar à superficie, encher os pulmões de ar e festejar o facto de não ter de voltar a pôr os pés num hospital para mais do que visitas esporádicas de rotina.
E, aí sim, posso começar de novo.

22 comments:

Joana Caetano said...

boa sorte para tudo e para esse novo começo.
A incerteza e a espera, são o que há de pior e o sentimento é o de ter a vida em modo pause, à espera de respostas para que se possa assentar e continuar. Por vezes o melhor é carregar as baterias com energias positivas e tentar evitar o lado "e se..." Não sei do que se trata, mas acredito que vai tudo correr pelo melhor!

beijinho***

Paula Castro said...

Votos de rápidas melhoras. Estou a torcer por si.
Bjs, Paula

calita said...

Sofro do mesmo mal (o não saber esperar),por isso imagino (mais ou menos, porque nunca tive de esperar por nada tão difícil) o que deves estar a sentir. Um abraço apertado e um recomeço glorioso para ti.

Silvia said...

Rita,
Não sei se já alguma vez deixei aqui um comentário, mas acompanho-te há uns bons anos mesmo que em "silêncio". Foi em silêncio que li e reli e voltei a ler o teu post, perdi a conta ao número de vezes. Quero que saibas que não estás sozinha nessa tua condição de quem sofre no intervalo de tempo entre, por exemplo, o não saber e o saber - estou contigo! Faço este ano 30 e sei que passei pelo menos os últimos 15 a tentar domar essa característica, mas ainda não consegui.
Espero que possas inspirar em breve com a certeza de um recomeço saudável e feliz.

Menina Rabina said...

Olá Rita,
Ainda esta semana me lembrei de ti (lembrei-me que já há algum tempo não escrevias aqui e pensei se teria acontecido alguma coisa).
Rápidas melhoras!
Um beijinho,
Alexandra

Virgínia said...

Sem saber o que dizer, deixo aqui um grande e apertado abraço para ti.

miriam said...

continuamos todos aqui deste lado a torcer e a saber que tudo vai correr bem. apesar da distância guardo-te num lugar bem quentinho ;)
beijos.

Raquel Deville said...

Eu acredito que tudo vai ficar bem e estou a torcer por isso.

Um abraço e força para aguentar o tempo de espera.

Libelinha said...

A espera quando se trata da nossa saúde é realmente muito complicado... Descobriram-me 6 nódulos no fígado, o maior com 6 cm este Verão, e a espera dos exames... Dos resultados foi do pior, pensei que dava em maluca!
Por isso muita calma Rita, desejo-te tudo de bom!

Celebra a vida entre a espera e não penses muito no assunto enquanto esperas. Sei que não é fácil! Desejo-te muita força nesta etapa da tua vida.

Deixo-te um beijinho e estou a torcer por ti ❤

Rita said...

Olá Rita, estás nas minhas orações. Coragem!
Bjs

Polliejean said...

As melhoras e um grande beijinho de coragem!

TerecAna said...

Não preciso dizer nada... sabes que estou contigo mesmo em silêncio.Tudo passará, e em breve será uma fase menos boa.

claudia said...

conheço essa sensação do momento frio e decisivo de uma cirurgia,em que somos só nós e os nossos piores medos que ali estamos. Também tirei um bocado (e nada pequeno) que não era preciso...a espera ansiosa já não deve existir. A partir do momento em que passamos por momentos destes,é viver cada dia com a maior tranquilidade possível. Força e tudo vai correr bem*

Alexandra Durão said...

Deixo um abraço*

sara aires said...

Que passe rápido este compasso, que a espera seja apenas o preço a pagar pela bonança que há-de vir... Muita força e boa música, é o que te desejo.

rita said...

muito obrigada a todas!

Rute Gil said...

Querida Rita, um grande beijinho e um afago terno.

fios de linha said...

um abraço .

Adriana Oliveira said...

Força Rita, estou a torcer por ti! Bj

Anonymous said...

Vai passar. E tudo vai voltar ao normal. Força!
Ligiia

Sol de Dezembro said...

Fico contente que a espera tenha tido um desfecho bom!
Beijo grande!

Ricardo Rodrigues said...

Beijinhos Rita e força!