1.9.09

1+1=11


Quando nos conhecemos não podíamos sequer imaginar que íamos estar aqui agora e, quando voltámos a cruzar-nos, anos mais tarde, as probabilidades continuavam a parecer não jogar a nosso favor.
Eu tinha-me desfragmentado (aliás, o meu coração) havia poucos meses e pairava dormente pelo tempo e pela vida. Tinha perdido, achava eu, 1/3 da minha existência e quase todas as minhas referências, faltava-me o chão de tudo o que eu conhecera até aí.
A minha transparência tornava-me quase invisível, podias facilmente ter passado por mim sem me ver. Naquela altura restava muito pouco do que eu tinha sido e obrigava-me a sair da cama todos os dias e fingia que tinha uma razão para isso. Como se me tivesse apagado, sem vontade de nada nem de ninguém.
Tiveste a paciência e o amor de recolher todos as partículas que me completavam e colaste-as uma a uma, sem urgência nem exigências, sempre com as palavras certas, uma extraordinária lucidez e um sentido de humor demolidor.
Às vezes acho que te devo quase tudo aquilo em que me tornei porque não me colaste pela mesma ordem. Inverteste-me o sentido e eu obriguei-me a avançar, em vez de cristalizar no buraco negro e fundo para onde me tinha deixado sugar.
Passaram onze anos.
Não me arrependo nada de termos dispensado tempos mais tarde a assinatura do papel e a plateia e a festa (coisas com as quais nunca me identifiquei) e muitas outras coisas e de nos termos mantido simples e, consequentemente, felizes.

---

(translation will soon be available)

6 comments:

sapatinhos de verniz said...

que a equação possa ser agora de 11x11 duma felicidade que crie raizes que permitam que nada nem ninguém a abale...
como me reconheço nas palavras que falas... diria que o buraco negro de que falas é semelhante ao que tenho agora a assombrar-me!
quem sabe um dia tenha a sorte de encontrar quem me reconheça no meio dos escombros e me faça assim feliz!

felicidades para os dois... quer dizer, aos três!!!
muito sucesso nessa relação companheiresca, para esse jogo de equipa...
é a formula do sucesso!

sininho said...

a destruição é quase sempre um novo começo para melhores construções, e, no final, isso é muito bom!

Sandra FRib said...

Que bom saber-te assim feliz...
Tenho saudades dos nossos poucos encontros.

5Flores

pombamarela said...

Passados onze anos fazes uma declaração de amor destas... isso é fantástico. E fico feliz por ti, infelizmente tb sei o que é ficar de coração partido, acho até que é muito comum nas mulhares, eu tb tive um encontro semelhante ao teu, só não foi há 11 anos, mas para lá caminhamos :)

beijinhos,
ana

Anonymous said...

Que maneira maravilhosa de descrever um amor...sim sim quem me dera...Obrigada.

Andreiinha said...

Que Lindo!
O meu coração batia cada vez mais rápido enquanto lia este pequeno grande texto! Simplesmente maravilhoso! Muitas felicidades! Por favor continuem assim... felizes! Beijos